Sigmund Freud: E, por fim, de que nos adianta uma vida...

Sigmund Freud: E, por fim, de que nos adianta uma vida...

E, por fim, de que nos adianta uma vida longa se ela é penosa, pobre em alegrias e tão cheia de sofrimento que só podemos dar as boas-vindas à morte, saudando-a como libertadora?

Veja também