Mário de Andrade: Soneto Tanta lágrima hei já, senhora minha,...

Mário de Andrade: Soneto Tanta lágrima hei já, senhora minha,...

Soneto

Tanta lágrima hei já, senhora minha,
Derramado dos olhos sofredores,
Que se foram com elas meus ardores
E ânsia de amar que de teus dons me vinha.

Todo o pranto chorei. Todo o que eu tinha,
caiu-me ao peito cheio de esplendores,
E em vez de aí formar terras melhores,
Tornou minha alma sáfara e maninha.

E foi tal o chorar por mim vertido,
E tais as dores, tantas as tristezas
Que me arrancou do peito vossa graça,

Que de muito perder, tudo hei perdido!
Não vejo mais surpresas nas surpresas
E nem chorar sei mais, por mor desgraça!

Veja também


Mário de Andrade: Não devemos servir de exemplo a...

Não devemos servir de exemplo a ninguém. Mas podemos servir de lição.

Mário de Andrade Nota: A lição do amigo: cartas de Mário de Andrade a Carlos Drummond de Andrade, anotadas pelo destinário" - Página 201, de Mário de Andrade, Carlos Drummond de Andrade , Livraria José Olympio Editora, 1982