Epicuro: Tu, que não és senhor do teu amanhã, não adies...

Epicuro: Tu, que não és senhor do teu amanhã, não adies...

Tu, que não és senhor do teu amanhã, não adies o momento de gozar o prazer possível! Consumimos nossa vida a esperar e morremos empenhados nessa espera do prazer.

Veja também