Berthold Auerbach: O amor que pôde morrer não era amor.

Berthold Auerbach: O amor que pôde morrer não era amor.

O amor que pôde morrer não era amor.

Veja também